Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2008

Parte Final - O que nos espera após a Era da Informação?

O QUE TEREMOS PELA FRENTE?

Todo período de transição de uma Era para outra gera atritos. Isso aconteceu com os primeiros agricultores que, tornando-se mais sedentários pela praticidade do cultivo da terra, reduziram seu espírito bélico e sofreram muitos saques dos povos mais bárbaros e menos desenvolvidos que ainda viviam da caça e da coleta. Mas foi somente com a expansão da agricultura para todos os povos que, uma vez estáveis em um único lugar, os homens conseguiram multiplicar a riqueza. A transição da Era Agrícola para a Industrial também gerou embates como a Guerra Civil dos Estados Unidos (1861-1865) na qual o sul mais conservador e voltado para a agricultura confrontou o norte sedento pela industrialização. A Era da Informação também sofre com a insistência em se manter paradigmas antigos. Observamos isto, por exemplo, na Indústria do petróleo que mantém um constante lobby para que sistemas mais inteligentes de energia não se propaguem no mundo. A sorte que temos é que o máximo…

Parte III - O que nos espera após a Era da Informação?

Imagem
A ERA DA INFORMAÇÃO
Assim como aconteceu com a Era Industrial, em que somente depois de um século de existência é que as pessoas acordaram para as modificações que haviam acontecido no mundo, o mesmo vem acontecendo agora. Apesar de já estarmos há mais de 50 anos vivendo um novo paradigma social, a maior parte das pessoas não percebem isso e ainda mantém suas crenças alicerçadas no sistema antigo.

A Era da Informação está sendo mais do que uma mudança social. Ela é uma mudança na condição humana. Na nossa época, quantidade de esforço não significa mais resultado. Mãos calejadas não são mais sinônimo de trabalho honesto. Será a capacidade criativa e pensante, que sempre nos diferenciou dos demais animais, que determinará o sucesso das pessoas na economia mundial.

Para se ter uma idéia do delay na leitura dos acontecimentos globais, apesar do sucesso mundial de livros que tratam do assunto como O mundo é plano de Thomas Friedman e de muitos intelectuais colocarem a boca no trombone para…

Parte II - O que nos espera após a Era da Informação?

Imagem
A PRÉ-HISTÓRIA

Quando a última Era Glacial, há 20.000 anos, nos tirou do nosso habitat natural que eram as árvores e caímos nesse território desconhecido chamado chão, nossa maior batalha era para mantermo-nos vivos. Éramos apenas alguns milhares de homo sapiens lutando pela sobrevivência. A caça se fazia necessária, pois nossa alimentação dependia diretamente do que conseguíamos caçar ou coletar. Tal como na escala das necessidades humanas de Maslow vivíamos o drama da primeira e mais básica das necessidades: as fisiológicas.


A ERA AGRÍCOLA

Foi provavelmente uma mulher quem, há 12.000 anos, descobriu que se enterrássemos uma semente no solo, geraríamos frutos e comida sem necessidade de tanto esforço como acontecia com a caça. Desenvolvemos então a agricultura e, conseqüentemente, ampliamos nossa expectativa de vida. Afinal, a caça é uma atividade deveras arriscada, e ameaça até mesmo a vida do caçador mais experiente. Com aquela descoberta simples, mas revolucionária, a aldeã, havia su…

Parte I - O que nos espera após a Era da Informação?

Imagem
Em 1956, o sociólogo americano Daniel Bell detectou que naquele ano, nos Estados Unidos, o número de trabalhadores chamados de colarinhos-brancos havia ultrapassado o de operários. Ao perceber esse fato tão relevante advertiu: “Que poder operário que nada! A sociedade caminha em direção à predominância do setor de serviços.” Por isso, este ano é considerado por muitos estudiosos o início da Era da Informação. Peter Drucker, renomado consultor de empresas e autor de dezenas de livros sobre o tema, foi o primeiro a denominar assim o período histórico que vivemos até hoje. Mas Drucker acreditava que a Era da Informação tinha começado pelo menos 10 anos antes, com a atitude dos soldados americanos de, após voltar da II Guerra Mundial exigirem, ao invés de um emprego, colocações em universidades. Hoje isso pode parecer óbvio, mas na época foi marcante, visto que aqueles que voltaram da I Guerra aspiravam apenas um emprego estável. Por volta de 1945, o conhecimento estava começando a ser ma…