Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2014

SANDOR MARAI - CONVERSA DE BOLZANO

Imagem
– Ser escritor – disse ele num tom natural. – Sou desesperadamente escritor, Balbi, não o digo a ninguém, não gosto das queixas que são ao mesmo tempo presunções. Só a ti o digo, porque por ti não tenho a mínima estima. Pode-se escrever de diversas maneiras. Há os que ficam no quarto, que escrevem e não fazem mais nada. Esses, sim, são felizes. Talvez a vida deles seja infeliz, estão sempre sós, olham para as mulheres como os cães para a lua, uivam ao mundo a sua desgraça, clamam na sua aflição que tudo os faz sofrer, o sol, as estrelas, o outono e a morte. A vida deles é infeliz, e todavia são eles os escritores felizes, vivem para a escrita, não sabem fazer outra coisa, almoçam um nome e adormecem com um belo epíteto macio nos braços. Sonham com um sorriso ofendido nos lábios. E ao despertar, envesgam os olhos para o céu pois vivem no êxtase permanente, no entusiasmo cego de serem capazes de exprimir todos os dias, com adjetivos e substantivos, gaguejando e sem gaguejar, gemendo e …

AS COISAS DO PAPAI

Para: rays2010@gmail.com
De: TagogaPapua@yahoo.com
Título: As coisas do papai


Rays
Tudo bem?
Recebi uma carta do tio Faipz. Ele disse que a gente precisava passar na tribo para recolher as coisas do papai. Sabia que você não ia querer buscar, então perguntei se tinha algo assim tão valioso que eu teria mesmo que ir até lá. Daí você sabe né? O tio começou com aquela ladainha de tradição, que os espíritos dos nossos ancestrais cobrariam essa atitude e blá blá blá. Então para não ter que ficar ouvindo as mesmas coisas de sempre, falei que ia, mas que não sabia quando.
Não tem nem mais ônibus direto de Jaya Pura para Wamena. Ninguém mais quer viajar para aquele fim de mundo. Todas as pessoas espertas fugiram daquelas montanhas e vieram morar na cidade. É o processo natural né? Eu você, nossos amigos...
Cheguei na tribo sexta de manhã. Parecia que eles já estavam me esperando, todo mundo veio me abraçar, ficaram felizes de ver alguém que não mora mais lá, acho eles nos vêem como mais evol…