Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2011

#FinalDeAnoNoChile parte III

Imagem
A viagem passa da metade! Juntaram-se a nós mais três amigos Tati, Lucas e Mateus. O grupo ganhou em diversão, as ondas apareceram. Um estado de excitação, agora toma conta dos surfistas. Eu e o Rafa sempre cogitamos viajar para outro lugar, pegar ondas diferentes, mas quando as daqui quebram, nos fazem esquecer que outra possibilidade existe. Nos dá aquela sensação de que não desejamos estar em nenhum outro lugar, a vivência plena do momento presente, em uma palavra – FELICIDADE! Tudo parece caminhar para a perfeição, boas ondas, excelente companhia e cozinheiros de primeira. Sentirei muita falta no momento em que não pararmos de levar nossas pranchas para praia e após muitas horas de remada não tivermos mais nossas conversas na sala espalhada.

FINAL DE ANO NO CHILE PARTE II

Imagem
Passamos um dia maravilhoso em Santiago, não é fácil para quem surfa ficar numa cidade sabendo que ondas perfeitas podem estar quebrando a poucas horas dali. Mas sou um cara que gosta de cidades, gosto também de locais inóspitos, no entanto, não tenho essa coisa de achar que estar na natureza é necessariamente melhor que numa capital. Sendo assim, aproveitei bastante Santiago, visitamos um lindo museu (GAM), comemos em um bom restaurante (Republicano) e fizemos compras (Sports Mall). Agora, estou escrevendo com o mar quebrando nas minhas costas, o Rafa e a prepara nosso almoço, a Célia toma sol na varanda e logo mais, iremos andar a cavalo. Esperar que toda a satisfação venha das ondas, pode gerar muita frustração. E Frustração, expectativa e satisfação são sensações bastante presentes no surf. O mar ainda não nos deu chance desde que chegamos em Pichilemu (no final da tarde desse dia conseguimos surfar, conto depois). O que temos a fazer é aproveitar as outras possibilidades que o lo…

FINAL DE ANO NO CHILE COMEÇOU

Imagem
Tomei um café. Tem uma voz na minha cabeça narrando o que devo escrever. Escrever não é um ofício fácil, embora todo mundo “saiba” escrever desde que tem sete anos. Escrever dá medo e quanto mais você escreve mais medo dá. Quando você atinge um bom patamar de escrita e leitura você sabe que bons leitores irão julgá-lo, quer você queira, quer não e eles não perdoam! Mas, vamos lá, vou tentar ser menos pretensiosos (mas eles vão julgar mesmo assim, eu sei, publiquei, serei avaliado, não tem saída), eu falava do café. Ganhei um aliado. Um fone mega tecnológico, daqueles que não passa nenhum som. Sempre quis ter um desses. Encantado! Estou escrevendo dentro de uma sala de concerto, só ouço o que me interessa e assim, ninguém pode mais me atrapalhar. Tudo pronto. Vou tentar trazer a voz de novo. Ela está dizendo que gostou da introdução. “Está bem contemporâneo, quem sabe você fará parte da Geração 10” é um livro com coletâneas de novos escritores que sai de 5 em 5 anos e que o Marne, meu p…