UM CONSELHO

Acabo de voltar e um tour de 4h de bike por Barcelona. Dezenas de insights me fizeram parar algumas vezes para anotar o que me vinha na cabeça mas para não perder tudo de vez resolvi escrever este post.
Passear de bicicleta é a melhor forma de conhecer uma cidade, pois você tem uma velocidade bem maior que caminhando ou correndo e ao mesmo tempo, a proximidade das coisas e pessoas, algo que o carro perde.
Experimente fazer isso - alugue uma bike e ande sem destino. Entre nas ruas que lhe chamam a atenção, se conseguir, não tire fotos, deixe a experiência para você, mas se não resistir tire poucas e tire mal tiradas. Pedale muito, sem se preocupar, depois você se acha. Aí alguns vão me dizer - mas é perigoso perigoso pedalar na rua, no meio dos carros, numa cidade que você nem conhece. Para mim, perigoso é passar uma tarde num shopping center. Não estou sendo irônico, acho perigoso mesmo. Prefiro me arriscar menos e passar no meio dos carros.
Você deve estar se perguntando e o conselho? Pois vamos a ele. Primeiro queria dizer que não acredito em conselho. A pessoa vem te pedir um, você fala por horas e no final ela faz o que já tinha decidido. No entanto, talvez para um filho funcione. Eu tenho 34 anos, para o senso comum, nessa idade eu já deveria estar parando de fazer coisas de "adolescente", já teria que pensar em constituir uma família, comprar uma casa - fazer o que todo mundo faz. Talvez, mas acho que não. Posso? Agora se eu tivesse um filho o conselho mais importante que eu daria para ele seria - faça o que for preciso, mas jamais deixe que sua vida se torne uma cuzisse. Entenda ipsis litteris. Eu sei o quanto é clichê dizer isso e também sei o quanto temos dificuldade de vencer a força dos costumes, mas de qualquer forma - Não deixe que as pessoas digam a você o que você deve fazer. E aí que fica a cuzisse, porque em geral as pessoas seguem padrões de comodidade e aceitação e isso é uma chatice. É isso que tira o brilho da vida e a felicidade da gente.



Comentários

  1. Meu conselho: Você tem que fazer o que sente vontade, e nao deixar de fazer ou fazer por ser um padrão. Mas se o que você sente mesmo for simplesmente vontade de ir contra o bando, entao.. Seguir o senso comum não necessariamente é o mais cômodo a se fazer. Mas tenho que concordar, passar uma tarde no shopping pode ser mais perigoso que pedalar sem destino. Beijo, Deia.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Feitas para Durar (resumo do livro)

A História do trabalho

O Peso Real de Paulo Guedes