POR E-MAIL



Rejane
Acabei de ler seu blog. Confesso q ouvi c certo preconceito qnd vc disse q também escrevia. Ainda mais poesia, pois hj em dia o que mais vejo na internet são falsos sabichões metidos a poetas. Isto me irrita um pouco, sabe? Parece que todos usam a mesma receita de mal gosto – Jogam um monte de palavras desconexas. Depois adicionam - amor, sentimento e paixão. Incluem - alma, desejo e sonhos a gosto. E pronto – “Poesia”. Não sei se vc estudou literatura, mas a poesia é a forma mais perfeita da escrita. É a palavra em seu estado mais lapidado. Por isso, me dá nos nervos ver esses canalhas fazendo isto com ela.
Mas enfim, gostei bastante dos seus textos. Vc leva jeito p coisa, não me parece que usa tais receitas rsrsrsrs. Gostaria de voltar vê-la para falarmos mais sobre isto. Qnd podemos marcar?
Bjs

Antônio Augusto
_____________________________________________________________________________________________



Oi Antônio
Vcs burguesinhos são todos iguais mesmo. Acham q somente vcs podem fazer bem as coisas. O talento não escolhe classe social, gato. Vc nunca ouviu falar que o sol nasce pra todos? Pois saiba que minha vida só está assim agora pq n eh fácil vir de onde eu vim. Tive que me virar, ralei muito, mas sei que as coisas vão mudar e tenho certeza que um dia, meu livro será um sucesso.
Sobre estudar, eu fiz um curso de contos. Se vc me perguntar - Pq conto se escrevo poesia? Nessas horas não ter $ atrapalha mesmo. Era um curso grátis e só tinha de conto. Paciência!!!!
Bom, vc sabe q meu tempo vale ouro. Se quiser marcar algo me liga.
Bjussssss Re
____________________________________________________________________________________________

betão
fala
cara vc n sabe
what?
Lembra akele site?
qual?
theclass.com.br
sim, das putas
então liguei lá ontem
fui no flat dela
e ai?
boa?
sim bem gostosa
me passa o link p eu ver
dps vc vê é Rejane
qnt morre?
R$300
caro
Mas vale
Sempre vale
Mais barato que sair pra jantar
várias vezes com uma mina
e ainda correr o risco d n comer
É. Foi bom viu!!!!
Mas não era isso que eu queria te dizer
Então fala pô
A mina era diferente
Não era essas putas sem naipe, sabe?
Não, não sei
P mim, sendo puta já é sem naipe
É eu sei, mas esta tinha qq coisa
Qq coisa?
hahahaha
Como assim????
Sei lá
Sabia conversar
E ela escreve.
hahahaha
tá de sacanagem né?
Minha empregada tmb escreve uns recados p mim
Escreve o que?
Calma cara
Tmb tive essa reação
Mas dai entrei no blog dela
e aí?
é cheio de coraçõezinhos
ou é mais estilo Bruna Surfistinha?
Não Betão
A mina faz poesia de verdade
Vc já ouviu falar na expressão
chave de buceta?
Não é isso. Deixa de ser refratário cara
A coisa está mudando Betão
A arte tá vindo daí
Daí onde?
Dos cabarés?
Sempre teve encontros neles
Mas quem sempre escreveu ou pintou foram os artistas
As putas fazem outro trabalho
Ajudam a Arte de outra forma. Entende?
Deixa de ser otário. Não é mais assim Betão
Ninguém mais quer saber de Proust.
Já deu... Temos que ver o que tá rolando.
Lembra da parte secreta da arte que o Bolaño fala
naquele conto do dentista?
Putas Assassinas, claro que sei.
Maravilhoso!!!! Aquilo que é literatura.
Não um blog de uma puta, Antônio.
Cara, mas você nem viu
É como o cara do conto.
Ele não queria ler o que o menino pobre escrevia
Aí o dentista obrigou ele a ir no meio da favela
Pegar os cadernos do menino e ler
Lembra a reação do cara? Fica embasbacado.
Não conseguiu dormir
tamanho impacto que o texto causou nele.
Tá bom, mas me diz uma coisa.
Vc tá defendendo a literatura ou seu tesão?
Se liga Betão.
O q vc quer ser? Um intelectual chato
daqueles não produzem nada
q vivem p falar das obras dos outros?
Tá bom. Vou dar uma olhada no blog
só para vc não me encher mais
Mas antes vou ver o site dela peladinha
uhuhuhuhuhuh
Tá bom Betão
Dps falamos
_____________________________________________________________________________________________

O segundo encontro aconteceu numa sexta-feira a tarde. Antônio, sentia aquele frio na barriga que um amante sente nos momentos que antecedem o toque. Apesar de saber que aquilo não era como os outros serviços que prestava ela se portava como de fosse. Já tinha sido treinada pelas mais velhas a não se envolver com clientes. Até mesmo os beijos deveriam ser evitados pois eles eram o primeiro passo para o envolvimento e em seguida para a decepção. Os Olhos se encontraram. Hesitou, mas entregou o dinheiro, conforme o combinado. Como era de se esperar, deu mais atenção a ela do que o contrário. Falaram pouco, beijaram-se muito e loucamente, como se o concreto de uma represa tivesse sido rompido liberando a água que veio com uma força avassaladora fazendo o estrago e o bem que a Natureza selvagem pode fazer. O beijo era molhado e quente. Foi ela quem primeiro tocou sua cabeça por trás e segurou forte nos seus cabelos, era ela também que punha a língua úmida para dentro da boca dele e o fazia sussurrar de tesão. Sentaram-se frente a frente. Ele olhou para o fundo de sua alma e ela fez seu pênis escorregar para dentro dela. Assim ficaram até que o ápice do prazer viesse junto para os dois. Se despediram e cada um seguiu para o seu lado.
_____________________________________________________________________________________________

Para: 81879345
Re adorei nosso encontro. Gostaria de manter mais contato. O q vc acha de fazermos um exercício de treinamento da escrita. Eu escrevo em prosa e você me reponde em poesia. Bjs

Para: Antonio Augusto – cliente theclass
Gostei da ideia. Parece a música da Rita Lee rsrsrs. Pode começar. Bjussssss



_____________________________________________________________________________________________


E a sua Rita Lee me trouxe o Jabor, autor da crônica que inspirou a música: “O sexo é contra a lei. O amor depende de nosso desejo, é uma construção que criamos. Sexo não depende de nosso desejo; nosso desejo é que é tomado por ele.”
E tudo começou com o sexo, tesão e um desejo descontrolado que venceu a lei. Agora há outra coisa... algo que não explico, mas sinto, uma construção que é minha ou quem sabe... nossa. Entretanto há também uma voz lá dentro (ou seria fora?) dizendo que isto não posso, que não funcionará. Será mesmo minha esta voz? Ou de crenças que me impuseram? Imposições que mataram Romeu, que sonhava apenas em amar. Até que ponto a vergonha não me deixa ser quem eu sou – ou quem quero ser - prendendo-me nas garras da mediocridade e roubando minha liberdade?
  
Acho que já dá para começar a brincadeira. Aguardo sua respoesia.
Bjs doces


Antônio Augusto


A conquista

Entrega imediata, retorno não há
Oferta demais, demanda de menos
Entregue-se e fique só
Oculte e ganhe o mundo
No final são elas, sempre elas, as emoções
a nos comandar
O que parece certo não agrada
O que não podemos é o que queremos.



Obs: Mais que ninguém, vocês “escritores” deveriam saber disto.
Bjussss Re


E eu que achava que sabia das coisas... e aí aparece você e destrói minhas certezas. Tento pensar que você é apenas mais uma, mas minha alma diz o contrário. Me sinto perdido, como um cego num labirinto, onde minha única pista é a sua poesia dizendo que não posso me entregar. Fujo para as coisas simples, coisas que as pessoas falam, sem pretensão, sem propósito. Sartre saia com uma prostituta, e ela também dizia que ia ser escritora. Os dois acreditavam, porque estavam na França e lá isto é possível. E nós aqui, com essa merda de complexo de ex-colônia. Aqui não podemos. Nem nos apaixonar podemos. Não podemos pensar em literatura. Não podemos sonhar com um Nobel. Será que nem ao menos podemos amar como, em tese, amam os franceses?
Antônio Augusto
_____________________________________________________________________________________________

Ela não respondeu. No início ele achou normal, mas depois de três dias resolveu ligar e ela não atendeu. Passava o tempo todo olhando para seu telefone esperando que ela o retornasse. Quando se ocupava, chegava ansioso para ligar o celular e ler que havia uma ligação dela não atendida. Nada aconteceu.
_____________________________________________________________________________________________

  
A demora para retornar é parte da conquista?  
Cada minuto que passa é como o espinho de uma rosa rasgando minha pele. As inexplicáveis esperas que talvez sejam um dos temas mais fascinantes da vida são também um dos mais ricos da literatura.
Um beijo nos seus lábios
Antônio Augusto
____________________________________________________________________________________________


Betão
Manda loko
Cara to falando direto com a mina
Tipo tele sexo?
Para cara
Para o que Tony?
Não me diz que você está apaixonado por uma puta
Não é isso
Paixão não sei
Mas tá rolando um lance
Cara essas minas não tem caráter
São todas iguais.
Ela só quer seu $$, só isso
É uma troca justa
Vc só quer comê-la
E ela só quer receber
Mas esta é diferente
Ela não faz isso por opção
Ela precisa
Não seja ingênuo Tony
Vc acha que alguma está lá por opção?
 “Gosto tanto de dar
q eu posso fazer $$ tendo prazer.”
Seria genial, mas na prática...
Não sei
É difícil mesmo
As pessoas não aceitam
Eu entendo
Mas o foda é que não mandamos nas emoções
Imagina vc entrando em casa com ela
O que sua mãe ia dizer
É eu sei
É foda
Corta relação Tony
Deu
Vai por mim.
Liga p outra
São todas iguais
Blz a gente se fala.
Valeu
Abs
_____________________________________________________________________________________________

Conversaram bastante. Ela se abriu um pouco mais e Antonio disse que a quer mais próxima, também confessou seu medo. Ele não lhe paga, eles transam loucamente com o tesão dos amantes apaixonados. Não sabem como agir na despedida e cada um segue para o seu lado.
_____________________________________________________________________________________________


De Verdade

Você tem medo de que?
Você tem medo.
Eu sei porque.
Você tem medo porque você não é Homem De Verdade


Há um terceiro, quarto, quinto encontro, todos parecidos. Há tesão e carinho. Falam de suas vidas, de seus dramas. Falam da saudade e do desejo de estarem mais próximos. Ela quer sair desta vida, ele fala que irá ajudá-la. Fazem planos de viagens juntos. Se despedem com beijo na boca e ele a leva em casa.
_____________________________________________________________________________________________

 
Não tenho força suficiente para enfrentar. O amor, a situação, a sua sabedoria. Há dentro de mim um duelo emocional entre o que sinto e o que acho que é certo... uma luta acirrada... Há um medo que não me deixa agir, que me paralisa. Queria jogar tudo para cima, buscar você e desaparecer, mas não posso... Como será nosso futuro?

Antônio Augusto

________________________________________________________________________________________


Olha aqui rapazinho. Não vou mais escrever em poesia, pq a coisa ficou séria e não apenas para o seu lado. A verdade é que poderíamos construir algo sim, mas talvez não tenhamos mais tempo. Recebi uma proposta para ir trabalhar na Europa. Me liga para conversarmos.
Bj Re 
_________________________________________________________________________________________

 
Não posso, pq se eu ligar será p te chamar, p sempre...

Antônio Augusto

_____________________________________________________________________________________________

Então...

­_____________________________________________________________________________________________

 
S

Antônio Augusto

__________________________________________________________________________________________



















  

Comentários

  1. Não entendi o "S"(?!), mas gostei do conto. Muito bem escrito e com reflexões interessantes, parece até vida real... É um conto de fadas pós-moderno, mas está crível. Acho que o que faltava de vez para o cara deixar de ser um mero blogueiro e se transformar num artista de verdade era mergulhar de cabeça nesta loucura ;-) Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Fiquei sem fôlego por uns dez minutos!

    Vi inspiração pura.

    O autor teve muita coragem e demonstrou maestria ou traduzir sentimentos de maneira tão metafórica.

    Pela "densidade", sei que haverá um bom intervalo entre o este e o próximo texto. Será necessário.

    Porém, o melhor elogio e reconhecimento foi realizado durante minha atonia.

    ResponderExcluir
  3. Renatinha Junqueira20 de dezembro de 2011 14:20

    Adorei Dan. Será que eles ficaram juntos? rsrs

    ResponderExcluir
  4. puta q pariu, adorei o seu conto... adoro pq é incompleto... o 'S´para mim é saudade...a saudade não só do Antonio para a Rejane mais a minha saudade de continuar lendo a história deles...parabéns, pattricia

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A psicologia do MEDO

Feitas para Durar (resumo do livro)

A História do trabalho