New York – Impressions XIV




Desde que o homem das cavernas começou a fazer suas pinturas rupestres e enfeitar seus materiais de caça, a importância da Arte e também sua continuidade foram questionadas. Em 1839 quando a fotografia foi inventada, os pintores temeram que nunca mais alguém fosse pagar pelo seu trabalho. Mas ao contrário do que esperavam, a tecnologia foi justamente o portal para representações mais profundas da Natureza através do movimento Impressionista. Um pouco antes, em 1824, após Beethoven trazer ao mundo sua magistral Nona Sinfonia, os músicos se olharam e disseram "E o que faremos agora se todos os recursos disponíveis foram usados neste concerto?" A música não apenas sobreviveu como evoluiu muito depois daquela apresentação em Viena. O interessante é que naquela época mudanças na Arte influenciavam mais diretamente a própria arte. Tal como o Impressionismo que modificou a música de Debussy e Ravel.

Atualmente ninguém mais (será???) questiona a importância das Artes e sua aplicabilidade em nosso dia-a-dia.

Pois foi esta simbiose entre cotiano e Arte o que mais chamou minha atenção nesta viagem para a Big Apple. New York é, mais do que qualquer outra cidade do mundo, o lugar onde a Arte e o pragmatismo estão mais sincronizados. Foi aqui, no bairro do Greenwich Village, mais especificamente no Cafe Wha? - lugar que também ouviu os solos de Jimi Hendrix e a gaita de Bob Dylan - onde os Beatkniks começaram a se reunir. Não entendiam muito de gramática, tampouco ligavam se alguém os leria, mas como todos os artistas, tinham aquela necessidade de pôr para fora suas sensações. Começaram a contar em seus romances exatamente o que sentiam não se importando muito se aquilo estava certo ou errado em termos técnicos. Mais tarde, o estilo da Geração Beat influenciou o Movimento Punk e seu axioma "faça você mesmo". Impulsionados por este dilema, os Ramones entraram num estúdio para gravar sem saber sequer manusear os instrumentos. Aquele 1,2,3,4 que as bandas fazem para dar estilo foi inventado por eles, pois era a única maneira de começarem uma música ao mesmo tempo. Agora me diga. O que é o You Tube e os blogs se não uma extensão do "faça você mesmo."

Hoje visitei o Museu de Art e Design e o recomendo veementemente. É novo, não muito conhecido, mas super bem localizado na Columbus Circle. Foi criado com o intuito de propagar esta idéia de que a Arte está muito mais presente nas nossas vidas do que imaginamos. Andy Warhol, através da sua POP Art, talvez tenha sido o primeiro a propagar isto quando, em 1962, expôs um quadro mostrando somente latas das sopas Campbells. Alertava o mundo que os designers estavam fazendo Arte em suas campanhas de marketing e vendendo às pessoas sem que elas tivessem consciência disto.

No Museu de Art e Design, dentre vasos, jóias e outras obras do acervo, nos deparamos com um Mac e uma jaqueta de couro pendurada num cabide. Quer mais Arte que isso? Então olhe para o lado, ou para sua roupa, talvez a emoção humana já tenha sido expressada no que você está vestindo e você nem percebeu.

Comentários

  1. Como è maravilhoso ter um filho que
    se encanta com este mundo impressionante das Artes ....
    A gente leva pra eternidade ....
    Bjs
    Mamis

    ResponderExcluir
  2. Quando eu crescer quero ser que nem o Dani!rsrs
    Adoro o olhar que você tem sobre alguns temas, como a arte, explanando de uma forma simples mas inovadora!
    Bjoss!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A História do trabalho

O Peso Real de Paulo Guedes

A psicologia do MEDO