VIVENDO E PRODUZINDO




Alguns lugares possuem um tipo de vibração inexplicavelmente sedutora. Podemos não ver nada de diferente, mas a sensação no ar nos arrebata, como se estivéssemos de fato vislumbrando o extraordinário. Um prazer no estar... ali, e em nenhum outro local.
Buenos Aires exerce este tipo de fascínio sobre o meu espírito. Me encanta!
Por lá, recebi uma severa crítica dizendo que o tempo que eu dedicava a este blog, aos meus contos, à arte e à literatura não me levariam a nada. Tudo isto apenas me desvia e não produz de fato nenhum resultado. Magoei! Até pensei em dedicar-me menos ou largar esta tarefa, que de fato, em termos monetários não me traz nenhuma receita ao mesmo tempo que demanda muito tempo. Me senti como os tantos escritores que vi na FLIP e outros dos quais li as biografias e que diziam que jamais tiveram compreensão no seu labor.
De fato, escrever ainda não é visto como algo que merece reconhecimento no Brasil. Um dia eu vi a Fernanda Young dizer que o único escritor brasileiro que vive apenas de escrever é o Paulo Coelho. Na maioria dos casos blogs bonitinhos ou que tenham um nome mais apelativo são mais visitados que aqueles que realmente podem produzir algo importante.


Sempre senti que para escrever coisas interessantes não bastava ler algo importante ou ter uma idéia brilhante. Escrever bem é resultado de experiências multifacetadas. Para isto ,é preciso ouvir música de qualidade, ver filmes que a Blockbuster não gosta, visitar museus, prestar a atenção nas pessoas e conversar sobre assuntos que a maior parte das pessoas não consegue e chama pejorativamente de papo-cabeça.
Eu estava “escrevendo” no MALBA, o Museu de Arte Latinoamericana de Buenos Aires, ainda cindido pela crítica. Foi então que me deparei com uma camiseta com um texto do Paul Auster.
Para concluir, estou aqui publicando mais um artigo, a camiseta está no meu armário e eu não preciso dizer mais nada.
" Trabaja cuando el espíritu le impulsa a ello y el resto del tiempo vagabundea libremente, deambulando por las calles de la ciudad como un flâneur del siglo XIX, dejándose guiar por su instinto. Pasea, asiste a museos y galerías, ve películas a cualquier hora del día, lee libros en los bancos de la plaza. No está sometido al reloj como lo están otras personas. En consecuencia, nunca tiene la sensación de estar perdiendo el tiempo. Eso no significa que no sea productivo, pero el muro que separa el trabajo y el ocio se han desmoronado para él hasta tal punto que apenas se da cuenta de su existencia. Esto le ayuda, ya que las mejores ideas siempre se le ocurren cuando está lejos de su estudio. En ese sentido, para él todo entra en la categoría de trabajo. Comer es trabajar, viajar es trabajar, sentarse con un amigo en un bar a medianoche es trabajar. A pesar de las apariencias, apenas hay un momento en que no está trabajando."




Comentários

  1. Olá Dani, é impressionante o que, e como as pessoas expressam seus devaneios.
    Para mim seus textos são motivo de muito orgulho e aprendizado. Continue firme na sua colheita por cultura e aprendizado. Espero como leitora do blog e monitorada continuar a compartilhar contigo, através das suas linhas, as experiências adquiridas. E para este "conselheiro", segue abaixo, um trecho do livro Sexus do Henry Miller: "algum dia, a arte de sonhar acordado estará ao alcance de todos. E muito antes disso os livros já terão deixado de existir, porque quando os homens estiverem despertos e ao mesmo tempo sonhando seus poderes de comunicação(uns com os outros e com o espírito que move todos os homens) estarão tão aguçados que, perto deles, a escrita irá lembrar os grunhidos roucos e ásperos de um idiota." Enquanto isto escrevamos, e muito!
    Bjs Milena Rosolen

    ResponderExcluir
  2. Dani, que coisa mais linda de se ler!! Adoro a tua escrita, os temas que tu aborda com tanta propriedade e sentimento... Estou sempre esperado para te ler mais e mais! Admiro esta tua vocação e torço para que você nunca se canse de escrever!
    Estou tão arrependida de ter te dito para você se desligar do mundo virtual e ir curtir a tua viagem, lembra? E você me dizendo: Estou aqui em um café escrevendo meu conto!!
    A partir de agora meu conselho é: Não desgrude do computador e continue nos presenteando com a tua experiência e palavras!!
    Beijo grande, Vv!

    ResponderExcluir
  3. Acabei de descobrir seu blog. Compartilho muitas de suas idéias.

    Mande-me um email.

    Abs!

    ResponderExcluir
  4. Mi e Vivi
    Muito obrigado com lágrimas nos olhos pelo incentivo.
    De coração muito agradecido.

    ResponderExcluir
  5. Muito bom garoto !!!
    Coragem e entusiasmo pra mostrar o que vc sabe e quem vc é...

    Já virei fã!

    http://stoa.usp.br/nadiarg/weblog/
    se tiver um tempinho de comentar minhas idéias ...

    BJO!

    ResponderExcluir
  6. Olá Dani,
    Criar textos não é uma tarefa fácil. Primeiro por que muito poucas pessoas tem conhecimentos gramaticais para tanto, e fica difícil dissertar sobre qualquer assunto sem esse pequeno dom. E isso você tem.
    Segundo por que ao expor seus textos neste bolg, você cria uma impressão daquilo que você é.Seu bolg expressa suas opiniões, sentimentos e angústias. Isso contribui para gerar massa crítica, e gradativamente você se torna um formador de opiniões.

    Sigo seu blog e ficaria triste se você abandonasse este hábito - até por que seu blog me insentivou, e criei um blog meu, que em breve tará alguns conteúdos.

    Siga em frente, e com força!

    Abraços

    Flavio Mamede

    ResponderExcluir
  7. "Eso no significa que no sea productivo, pero el muro que separa el trabajo y el ocio se han desmoronado para él hasta tal punto que apenas se da cuenta de su existencia."

    Gostei muito desta frase Dani. Continue a escrever, pois o faz com muita propriedade. As críticas estão por ai...quem nunca as recebeu né?
    A frase acima explica tudo né!

    bjos Tati

    ResponderExcluir
  8. Grande, Dani.

    Há um bom tempo não entrava no seu blog, mas sempre que passo por aqui aproveito para ficar um bom tempo. Seus textos são incríveis.
    Parabéns pela habilidade desenvolvida, parabéns por fazer aquilo que gosta e obrigado por compartilhar suas experiências.
    E, por favor, não abandone seu blog.
    Um forte abraço.

    Ricardo Melo

    ResponderExcluir
  9. Querido Dani,

    Você é um grande exemplo, e imensa fonte de inspiração.
    Muito mais do que vc imagina!

    Abração

    Djalma

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A História do trabalho

Feitas para Durar (resumo do livro)

O Peso Real de Paulo Guedes