Chile Impressions II

Eu e meu irmão sempre fomos muito unidos. Quando morávamos na casa dos nossos pais, dormíamos no mesmo quarto, fazíamos os mesmos esportes e começamos a praticar SwáSthya Yôga juntos. Quando eu fiz 19 anos, fui morar em São Paulo para trabalhar e ele rumou para Austrália, depois disto por percalços naturais, a vida foi nos afastando.

De um uns anos para cá me dediquei pouco ao surf e ele manteve-se obstinado, como éramos na juventude. Por conta disto, nas suas viagens pelo mundo buscou somente lugares propensos à prática deste esporte, o que fez com que não nos encontrássemos nas salas de embarque.

Pois nessa viagem, eu o vejo duplamente feliz. O fato de estar surfando ondas perfeitas já o deixa em êxtase, mesmo sozinho, mas eu sinto que ele está ainda mais contente por eu estar aqui. Vibra o tempo todo, elogia minha performance na água, mesmo sem muito mérito. Sente-se como se tivesse recuperado aquela amante, que quase perdeu a esperança de ver novamente, mas que nunca esqueceu. Rema feliz, deixa ondas para mim e até dorme no pior colchão do quarto só para garantir que eu vá me sentir bem e voltar a surfar com ele como nos velhos tempos...

Comentários

  1. Ah Dani, que lindo! Adorei esta declaração de amor! As fotos estão LINDAS!
    Bjo

    ResponderExcluir
  2. Porra, Dani, eu sou seu fã!
    Valeu pela trip, maninho. E pelas palavras bonitas.
    Abraços

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A História do trabalho

O Peso Real de Paulo Guedes

A psicologia do MEDO