New York – Impressions VII



Eu resisti até o último instante, mas tenho que me render... Pensei que jamais escreveria estas palavras na série New York Impressions – não deu. E já que é para dizer que seja gritado.


ESTOU MORRENDO DE SAUDADES DO BRASIL.


A experiência está sendo maravilhosa, e colho aprendizado a cada instante que passo por aqui, mas não tem jeito, nós brasileiros temos qualquer coisa que nem o pai do Chico, nosso honrado Sergio Buarque de Holanda, que escreveu um dos mais profundos estudos sobre o comportamento brasileiros, consegue explicar.

De joelhos, em completa rendição, para não ficar sozinho, vou usar algumas muletas para me apoiar.

Fábio Martins, um grande amigo meu que nunca pára mais de um ano na mesma cidade e coleciona moradias em Lisboa, Hong Kong, São Paulo, Londres, New York, e sei lá mais aonde, se saiu com essa. “Depois de morar em tantos lugares acabei percebendo que a cidade em si não faz tanta diferença, o que muda nossa vida são as pessoas que estão a nossa volta.” Claro que New York tem coisas que nenhum outro lugar no mundo pode oferecer, ainda mais para um apaixonado por cultura e modernidade como eu, mas não posso tirar nenhum pedaço da razão do meu parceiro.

Para fechar com chave de ouro minha sujeição, lembro do maestro Antonio Carlos Jobim que depois de fazer muito sucesso por aqui, no auge de sua carreira voltou ao Brasil, quando questionado sobre o motivo do retorno não titubeou:
“ Os Estados Unidos é bom, mas é uma merda. O Brasil é uma merda, mas como é bom.”

Comentários

  1. Com o dolar a mais de 2,50 deves estar com saudade da nossa moeda barata tb!! Passei por isso em Londres quando o pound foi pra 4 pra 1. hahaha

    ResponderExcluir
  2. hahaha... nem tô lembrando do dinheiro, mais das pessoas.
    BJs

    ResponderExcluir
  3. Samba de Orly
    Chico Buarque

    Vai, meu irmão
    Pega esse avião
    Você tem razão de correr assim
    Desse frio, mas beija
    O meu Rio de Janeiro
    Antes que um aventureiro
    Lance mão...

    Toquinho fez esse samba de saudades do Brasil, mostrou pro Chico Buraque avisando que ia deixar a Europa, e o Chico fez a letra na hora!
    Eu também aprendí essa na prática: o que importa não é o lugar, e sim as pessoas que estão conosco!

    ResponderExcluir
  4. Volta volta volta.
    A nossa vida tb não é a mesma sem vc, Dadá.
    Agora com esse dadá vc já sabe que sou eu e não precisa confirmar.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Todo brasileiro que é brasileiro, pode mudar de morada, mas terá seu coração eternamente fincado aqui!!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A História do trabalho

O Peso Real de Paulo Guedes

A psicologia do MEDO