A Cama na Varanda


Acabo de ter uma prazerosa aula sobre relacionamentos humanos ao ler atentamente o livro que deu título a esse artigo. Minha professora foi a psicóloga brasileira Regina Navarro Lins. Acredito que ninguém conseguiria desmantelar com tamanha astúcia intelectual as mais arraigadas “verdadessobre este tema como fez esta corajosa escritora. Ela demonstra que tudo o que a tradicional educação vende como correto em termos de relações, passou por grandes transformações ao longo da história. Aquilo que hoje é aceito como sensato, foi execrado em épocas passadas e vice-versa. Por esta razão aprendemos na leitura, o que parece óbvio, mas que pouca gente aplica. Não existe certo ou errado quando falamos de relacionamento, o que existem são convenções que nem sempre condizem com as vontades pessoais de quem se une. Por ser algo muito pessoal, cada um deve encontrar a melhor maneira para si e jamais simplesmente aceitar o que é empurrado como o mais adequado.

O livro aprofunda a história e as transformações que passaram conceitos aparentemente eternos como o amor romântico, a veneração pelos filhos, o patriarcalismo e a sua antítese o matriarcalismo, o sexo, o homossexualismo e a prostituição. Tenho certeza que você tem conceitos cristalizados sobre todos esses temas e nem imagina de onde vieram e quais as razões que estão por trás destas opiniões. Costumo sublinhar, escrever e ainda colar post-its plastificados para marcar as partes mais importantes dos livros, este hábito além de reforçar as mensagens, facilita qualquer consulta posterior. Para mim, esta obra apresentou tantos axiomas - premissas consideradas necessariamente evidentes e verdadeiras - que sublinhei e escrevi em praticamente todo livro e os tantos post-its colados fizeram-no parecer um fio repleto de bandeirinhas de são-joão.

O mais significante ensinamento que ficou é que crenças que vão nos sendo impostas pelo sistema penetram a psique de tal forma que passamos a defendê-las como sendo “nossas”, tal qual uma verdade inquestionável que todos os seres humanos devem acatar. Não questionar padrões comportamentais que conflitam com a nossa felicidade é no mínimo uma burrice declarada. Acho que se um dia tiver um filho, ou melhor ainda uma filha, e como todo o pai desejar a máxima realização pessoal para ele, este será o primeiro livro que indicarei a leitura. Como o objetivo do artigo não é fazer um resumo da obra, não vou entrar em mais detalhes sobre seu conteúdo. Fica aqui uma veemente recomendação de leitura.

Comentários

  1. Oi querido,
    Finalmente compreendi o que me querias dizer sobre este livro lá no Rio...e agora sim concordo...estávamos a dizer praticamente a mesma coisa e não nos estávamos a entender.
    És mais eloquente a escrever do que a falar...eehhehehe....kidding...
    Vou continuar a ler o blogue....beijossssssssss

    ResponderExcluir
  2. Ahhhhhh, adorei esta frase...absolutamente genial...
    "Não questionar padrões comportamentais que conflitam com a nossa felicidade é no mínimo uma burrice declarada."
    É pena que a maioria das pessoas se deixe levar pela inércia, pelo medo ou simplesmente pela preguiça de mudar.

    ResponderExcluir
  3. Se gostaste deste livro, recomendo-te vivamente a leitura do livro "Os homens são de Marte e as mulheres são de Vénus", de John Gray.

    O título, na minha opinião meio disparatado, não corresponde à qualidade do seu interior. Uma tese profunda, articulada e realista sobre as idiossincrasias de cada género.

    A sensação que tiveste com o "Cama na Varanda" relativamente aos teus filhos, eu tive em relação a este. Pensei: "Assim que os meus filhos começarem a saber ler, têm de ler este livro de tempos em tempos".
    Será a única maneira de sobreviverem às complexas relações entre os sexos.

    ResponderExcluir
  4. Eu estava procurando exatamente isso!
    O medo de "quebrar padrões" e o reflexo que isso pode causar na imagem perante a sociedade também deve ser levado em consideração. Não acredito que apenas a falta de vontade seja o vilão mas uma série de fatores.
    Passei ao acaso por esse blog e achei a dica desse livro bem interessante, vou conferir!
    Valeu!

    ResponderExcluir
  5. Fiquei super curiosa pela leitura!

    Beijo Grande
    Ana Gabriela de Souza

    ResponderExcluir
  6. Adorei o texto, comprei o livro e estou gostando mais ainda.
    Valew a dica

    Alyne

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A História do trabalho

O Peso Real de Paulo Guedes

A psicologia do MEDO