Um bom ano

Mais um ano terminando e entramos na fase de reflexões e planejamentos para o próximo que logo se iniciará. Sobre a retrospectiva devemos aprender que no passado não podemos mexer, mas aprender com ele para não repetir no futuro aquilo que nos desagradou.

Sobre o futuro, esse sim é manipulável e se apresenta como uma argila pronta para ganhar a forma que desejamos. Alguns fatores não podemos modificar, por isso, trabalhemos com aquilo que está ao nosso alcance. Jamais conseguiremos fazer uma obra de chumbo se nossa matéria-prima é o barro, no entanto, coisas belíssimas podemos esculpir com o que temos.

Quando uma meta é escrita, cresce 60% a probabilidade de que ela se realize. Mas para ela se torne realidade, é necessário que escolhamos objetivos que somos apaixonados e para os quais trabalharemos com afinco. Gosto muito de uma provocação que Stephen Covey propõe a esse respeito quando nos questiona:

O que você poderia fazer (e não está fazendo no momento) que, se fosse feito de maneira constante, causaria uma grande diferença positiva em sua vida?

O segredo para o êxito está nessa difícil atitude chamada constância. O que faz com que as pessoas não consigam manter-se focadas em um objetivo até o alcançarem, é que acabam fazendo escolhas que não têm tanta relevância para elas. Nossos objetivos devem estar alinhados com aquilo que realmente é o mais importante para nós ou não teremos paixão e disciplina para nos comprometermos. Para manter a disciplina da constância é necessário:

Primeiro, determinar algo que é realmente relevante para você. Construir metas anuais que estejam alinhadas com a missão que você deseja realizar na vida. Com isto, a disciplina passará a ser muito mais uma questão de uma boa escolha, que condiga com aquilo que você valoriza, do que um constante sacrifício para se manter as ações. Será muito mais fácil agir com constância se você estiver buscando algo que ama.

O segundo ponto, tão importante quanto o primeiro, é saber que você precisará invariavelmente fazer coisas que não gosta para chegar onde deseja. Agir muitas vezes sem ter vontade, mas ciente que para se atingir um grande objetivo, precisamos constantemente de pequenas vitórias, que serão alicerçadas pela disciplina da repetição.

Unindo esse dois fatores, uma missão de vida bem definida com metas anuais relacionadas a ela e a ciência de que precisará lutar contra o estacionamento na zona de conforto, você estará apto a estabelecer suas metas para 2008. Poderão ajudá-lo a realizá-las as seguintes atitudes:

  1. Escolha no máximo 3 metas que sejam desafiadoras, mas alcançáveis;
  2. Deixe-as visíveis e revise-as constantemente, trazendo sempre a responsabilidade para você caso não esteja conseguindo atingi-las;
  3. Lembre-se de contemplar os diferentes papéis que você exerce na sociedade, de nada adianta ter apenas metas profissionais e se esquecer do seu corpo ou dos seus relacionamentos;
  4. Lute contra o desânimo, pois em algum momento ele aparecerá.

Se sentir dificuldade não desista nunca, pois a satisfação da realização de algo que muito queremos compensa qualquer esforço que tenha sido empregado para a conquista dos nossos objetivos. Por dificuldades todos passam, mas o sábio aprende com elas e não fica achando que elas acontecem com ele.

Desejo a você um 2008 de muitas vitórias e principalmente de realização pessoal.

Comentários

  1. Desejo-te a ti também a concretização das tua strês metas. E desd elogo qu eocntinues a escrever asism.

    Excelente

    Abraço de outro sagitário

    ResponderExcluir
  2. Não ligues aos erros de digitação...

    ResponderExcluir
  3. Desejo um 2008 relpeto de realizações em todos os sentidos!
    bjs
    Rafaella Coelho

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A História do trabalho

Feitas para Durar (resumo do livro)

O Peso Real de Paulo Guedes