O Novo Impressionismo



Quando Monet, Manet, Renoir, Degas e outros pintores franceses juntaram-se para criar, o que na minha opinião foi o mais revolucionário movimento da história da arte, o Impressionismo, eles não estavam somente quebrando com todas as regras academicistas do Realismo, o que seria uma atitude admiravelmente corajosa, eles fizeram um grande movimento cultural que abrangeu desde um maior contato com a natureza, e por isso pintaram tantas paisagens ao ar livre, até uma nova forma de observar o mundo. Estes, inicialmente criticados artistas, começaram a transferir para os quadros a forma como realmente viam as coisas, mostraram que a realidade não é lida como algo exato e estático, como as antigas pinturas tentavam expor e com isto, e a partir daí as pessoas perceberam que nossa visão é diretamente afetada pela incidência da luz e que a forma como vemos o mundo ao nosso redor não é igual o tempo todo.

Atualmente, vivemos um momento parecido com o do final do século XIX, as evidências mostram que a realidade não é formada apenas por elementos físicos, os quais podemos tocar, sentir e ver. Há algo de mais profundo na constituição do universo, e a lucidez de algumas pessoas começa a trazer a tona estas novas impressões.

Assim como no Impressionismo, não podemos esperar que os cientistas façam estas descobertas. O próprio estudo da interferência da luz em nossa visão se desenvolveu graças à influência deste movimento cultural.

De onde virá o lampejo dessa vez?

Acredito que de um conjunto de diferentes áreas como a música, as artes e principalmente das pessoas mais sensíveis que não aceitam o congelado paradigma de realidade que estamos presos. Não podemos mais esperar pela ciência, pois ela chegou num ponto em que, se não começar a considerar o conhecimento intuitivo e vivencial, não andará mais para frente. Os atuais cientistas ignoram totalmente a consciência e a consideram um epifenômeno, por tanto não poderão nos trazer novidades a respeito desse assunto que é cada vez mais gritante.

Então convido você a perceber mais a consciência que é inerente a tudo, e que está ainda mais presente em nós, seres humanos. Comece a segui-la com mais atenção, e descubra o quanto ainda podemos nos bem impressionar com o mundo em que vivemos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A psicologia do MEDO

Feitas para Durar (resumo do livro)

A História do trabalho